Dicas de plantio e colheita da Cebola Crystal

Dicas de plantio e colheita da Cebola Crystal
Dicas de plantio e colheita da Cebola Crystal

Pensem na alegria que foi fazer a colheita dessas cebolas rs. Confesso que inicialmente não estava muito empolgada, perdi algumas mudas no início e precisei refazer o plantio da sementes. A partir de então, elas ficaram lá no vasinho de 5 litros quase que esquecidas. Mas foi o melhor para elas, porque se tem uma coisa que aprendi nessa minha jornada de jardineira é que planta muito mimada não vai para frente rs.

Como elas não tinham muito a minha atenção, elas se superaram e fizeram por onde serem notadas! E quando as notei, e esse detalhe vocês poderão conferir no vídeo, elas estavam praticamente "saltando" do substrato. Nesse momento também percebi que elas não só estavam prontas como estavam até passando da hora de serem colhidas. Mas vejam bem, "passando do ponto" se eu quisesse que elas ficassem pequeninas para a conserva, porque o sabor, mesmo dessa que ficou enorme, está excelente!

Cebola Crystal
Cebola Crystal

Quase esquecidas não quer dizer totalmente esquecidas, então eu regava todos os dias no tempo da seca e suspendia as regas no tempo da chuva. Foi inclusive no período chuvoso que elas mais se desenvolveram e também por conta da chuva forte que elas foram ficando descobertas e pude então perceber que estavam prontas. 

A água da chuva parece que tem até uma coisa meio mágica porque basta uma chuvinha para que as plantas passem por uma verdadeira transformação. 

Colheita da Cebola Crystal
Colheita da Cebola Crystal

O substrato que usei no cultivo é aquele que já compartilhei o passo-a-passo lá no canal do Jardinet no YouTube. Na verdade é como uma compostagem, onde misturo os restos orgânicos da cozinha com folhas secas e terra. Por adicionar terra à mistura, o que seria somente um composto torna-se um substrato pronto para o cultivo. Se a sua compostagem for do tipo que não tem terra você deverá adicionar terra no final para a composição do substrato. 

Uma proporção que uso muito por aqui é de uma parte de terra para cada parte do composto, ou restos orgânicos. Mas essa quantidade deve estar de acordo com o tipo de cultivo. Para espécies que não gostam do solo muito rico por exemplo, vocês poderão usar uma parte do composto para duas ou três de terra comum de jardim.

Usei também a cama de frango para adubar ainda mais o substrato. Já falei dela aqui no blog e também já compartilhei vídeo lá no canal. Vou deixar o link no final do post para que vocês possam conhecer esse super adubo!



Do plantio à colheita passaram-se cerca de 4 à 5 meses, mas como falei anteriormente, elas poderiam ter sido colhidas bem mais cedo com 2,5 ou 3 meses. No canal também tem vídeo do plantio da cebolinha a partir de sementes que vocês poderão usar como base para fazer esse mesmo cultivo.

As mudas ficaram a sol pleno, recebendo cerca de 6 horas de sol direto por dia. Somente nas primeiras semanas elas receberam um pouco menos de sol para que pudessem se adaptar. O plantio foi feito a partir de sementes da marca TopSeeds. E antes que eu me esqueça, devo dizer que as sementes têm uma boa taxa de germinação, perdi as primeiras mudas por "problemas técnicos" aqui no jardim rs.


Vejam também o vídeo da colheita!



Continue lendo para saber mais sobre:

Siga o Jardinet nas redes sociais e fique por dentro das novidades com várias dicas de cultivo!

Estiolamento, folhas verdadeiras? Fique por dentro dos termos mais usados na jardinagem!

Amarílis - Rose Blanc - Apleblossom - Floração
Amarílis - Rose Blanc - Apleblossom

Você já deve ter passado por isso, está assistindo ao seu canal de plantas favorito e de repente a jardineira solta uma palavra como estiolamento. Ela diz: "-Não deixe tal planta na sombra ou ela vai estiolar!" e daí você diz ok, vou colocá-la no sol, mas o que será mesmo esse negócio de estiolar?

Hoje vou compartilhar com vocês alguns desses termos mais utilizados na jardinagem e logo vocês estarão fluentes na linguagem dos jardineiros rs.

Mudas de pitaya
Mudas de pitaya germinando

O primeiro termo, que citei no início do post é o estiolamento. Sabe quando a semente germina e as primeiras folhinhas ficam bem compridas? Compridas de uma forma que às vezes até se quebram? Pois é, isso é o tal do estiolamento. Às vezes também, além de compridas elas começam a se curvar em direção ao sol ou à fonte de luz. Se as suas plantinhas estão apresentando alguns desses "sintomas", então pode ser um sinal de estiolamento, a planta não recebe a quantidade de luz adequada e se desenvolve de maneira precária ou defeituosa. 

Se você perceber esses sinais na sua planta transfira-a imediatamente para um local mais iluminado. Vá colocando no sol ao poucos para que ela possa se adaptar. Algumas plantas não chegam a estiolar mas não florescem por exemplo.

Mudas de tomate estiolando
Mudas de tomate estiolando

E falando em primeiras folhinhas, essas são os tais dos cotilédones. No título do post eu citei as folhas verdadeiras, que são as primeiras folhas que nascem após os cotilédones. Então resumindo, as primeiras "folhas" são os cotilédones, e as folhas verdadeiras, as primeiras folhas que nascem após os cotilédones. As folhas verdadeiras são bem diferentes dos cotilédones e geralmente é após o surgimento delas que fazemos o replante das mudas para o jardim.

Cotilédone da pimenteira
Cotilédone da pimenteira

Sol direto, meia-sombra, luz indireta. Esses termos estão ligados a quantidade de luz solar que as plantas recebem diariamente. Já percebi que a definição dessa quantidade varia um pouco de acordo com a concepção de cada jardineiro, mas de uma forma geral funciona mais ou menos assim:

Sol pleno. As plantas devem receber pelo menos 6 horas de sol direto por dia. E o termo "direto" quer dizer que o sol têm que incidir diretamente sobre a planta.

Meia sombra, pelo menos 4 horas de sol direto por dia.

Sombra. As plantas de sombra geralmente suportam, ou até mesmo necessitam de cerca de 2 horas de sol direto por dia. Existem também as plantas consideradas de sombra mas que não toleram a incidência solar direta. Mas tanto nesse caso como no caso anterior ambas entram nessa mesma classificação. Outro detalhe importante, é que essas últimas embora não tolerem a luz solar direta, precisam estar num ambiente bem iluminado com bastante luz indireta do sol.

Torrão bem formado no substrato
Torrão bem formado no substrato

Substrato. Esse é outro termo que gera bastante dúvida para quem está iniciando na jardinagem. Alguns acreditam que substrato é apenas uma mistura pronta que compramos no garden center. Mas a verdade é que substrato é o meio que utilizamos para o cultivo e podemos até mesmo fazer a nossa própria formulação de substrato. Aqui mesmo no canal já tem alguns posts e também vídeos com algumas formulações. Quando você mistura a terra do jardim com húmus de minhoca por exemplo você formulou um substrato.

Torrão. Na foto acima temos um exemplo do que seria o tal do torrão, que nada mais é do que as raízes da planta bem envolvidas no substrato. Quando conseguimos retirar a muda da sementeira sem que o torrão se desfaça dizemos que o torrão está bem formado. Outro detalhe é que a planta sente menos o replante se o torrão estiver assim. Então fica a dica para que você aguarde um pouco mais caso ele esteja se desmanchando pois esse é um sinal de que a muda poderia ficar mais tempo no recipiente atual.

Por hoje é só, mas caso eu me lembre de mais algum termo importante volto aqui e compartilho com vocês. E já deixo a dica para que vocês favoritem esse post e de vez em quando deem uma passadinha por aqui para ver se não adicionei alguma novidade!

Continue lendo para saber mais sobre:


Siga o Jardinet nas redes sociais e fique por dentro das novidades com várias dicas de cultivo!

Tagetes. Repelente, nematicida, comestível e extremamente ornamental

Tagetes. Panc, planta comestível.
Tagetes. Panc, planta comestível

O meu interesse inicial por essa planta começou pelo fato dela ser uma espécie nematicida. Os nematoides são uma "praga" que ataca as plantas pelas raízes e assim como as cochonilhas de raiz, eles debilitam as verdinhas e muitas vezes não conseguimos ajudá-las porque sequer sabíamos do problema. Aliás, toda planta repelente é bem-vinda por aqui, sempre procuro espécies com essa qualidade para compor o meu jardim.

Mas no caso da tagetes, além da ação nematicida ela ainda é bastante ornamental. As flores se abrem de uma cor e com o passar dos dias vão mudando. E não só a cor mas também o formato das flores vai passando por uma verdadeira transformação.