Cuidados e novidades da minha primeira orquídea phalaenopsis

Phalaenopsis - Orquídea borboleta
Phalaenopsis - Orquídea borboleta

Essa orquídea linda foi a primeira orquídea que adquiri e vocês podem conferir um pouquinho mais dessa história clicando aqui. E agora, na primavera do ano seguinte após a compra, ela floriu novamente. Nem preciso dizer que estou muito feliz com o resultado do cultivo e hoje vou compartilhar com vocês os detalhes e os cuidados que tenho com essa fofíssima.

Ah e vou recomendar também os dois posts que fiz sobre a mini-phalaenopsis que vocês podem conferir clicando aqui e aqui e que também trazem dicas legais para o cultivo dessa espécie.

Substrato para orquídea phalaenopsis
Substrato para orquídea phalaenopsis

Atualmente, e esse detalhe é importante, porque vivo fazendo experiências no jardim. Então se você estiver lendo esse post no futuro, a orquídea que hoje está num vaso de garrafa PET já pode estar morando no alto de uma bela árvore rs. Por fala nisso, já estou fazendo uma experiência com replante de um keike na árvore, ele já está se desenvolvendo bem mas isso é assunto para os próximos posts rs.

Voltando ao vaso... Ela está há mais de um ano nesse vaso de PET e a bela floração nos dá uma ideia do quanto ela gostou desse recipiente. Outro detalhe interessante que acabei de lembrar foi que no começo da floração por conta do enorme calor e um breve descuido, a nova haste começou a secar e acabei perdendo as primeiras flores, depois por conta novamente do calor as novas flores que tinham aberto na haste antiga também secaram. E quando pensei que ela só iria florir novamente no próximo ano, ela já está com novas flores abertas na haste nova e outras se formando na haste antiga. Eu não sei dizer se isso é resultado da adubação, mas a floração está a todo vapor e não sei ainda quando vai parar. Tomara que não pare nunca rs.

Phalaenopsis - Orquídea borboleta
Orquídea borboleta

E já que eu toquei no assunto da adubação, estou alternando entre a química e a orgânica. A orgânica é bem variada. Faço combos com farinha de ossos, cinzas, chorume, esterco de gado bem curtido e húmus de minhoca. Já a química que estou usando no momento, na dosagem recomendada pelo fabricante, é o "Forth orquídeas floração" e o "Forth orquídeas manutenção" da Forth Jardim

Se vocês quiserem ver o post onde falo só da adubação orgânica, que inclusive tem até vídeo ilustrando a aplicação nas orquídeas, é só clicar aqui.

Botões florais da phalaenopsis
Botões florais da phalaenopsis

O substrato que uso para as phalaenopsis são de cascas de pinus, uma quantidade bem pequena de carvão e na parte de cima do substrato um pouquinho de musgo. O musgo é em pouquíssima quantidade, o suficiente para segurar a umidade no substrato por mais tempo sem correr o risco de apodrecer as raízes. 

As regas sempre dependem do clima. Mas uma regra básica é a observação do substrato. Se o substrato secou eu rego, se percebo que ainda há umidade não rego. E no caso das phalaenopsis, nunca deixo que fique completamente seco. Quando a parte mais ao fundo ainda tem um pouco de umidade já faço a nova rega. No tempo da chuva, só rego se ficar uma semana sem chover. Mas ainda assim vale a regra da observação. 

Todas as minhas orquídeas estão no jardim, inclusive as floridas e pegam sol filtrado pelas folhas das árvores durante a maior parte do dia. Expostas ao tempo, inclusive às chuvas a floração dura menos, mais ainda assim preferi não retirá-las do jardim.

Vejam também o vídeo do tour pelo orquidário na primavera!


Continue lendo para saber mais sobre:

Siga o Jardinet nas redes sociais e fique por dentro das novidades com várias dicas de cultivo!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...