Adubação - Tipos de adubo orgânico e químico

Como usar o esterco bovino
Grevílea-anã adubada com esterco bovino

Este ano fiz muitas experiências com adubações, inclusive utilizei alguns produtos que nunca havia utilizado antes e obtive resultados maravilhosos! Então hoje vou falar deles para vocês de uma forma geral e de alguns em particular em outros posts. O húmus de minhoca e o composto orgânico por exemplo merecem um post inteirinho só para eles!

Húmus de minhoca: O primeiro adubo que vou indicar é o húmus de minhoca, ele é rico em micro e macronutrientes essenciais às plantas. Eu apliquei em várias espécies no jardim e todas se deram muito bem com ele. Algumas que inclusive estavam estagnadas começaram a se desenvolver. Outras em duas semanas se desenvolveram mais do que em meses. Vou defini-lo com uma palavra: Fantástico. Ele pode ser encontrado em lojas do ramo, inclusive hipermercados, Garden Centers e internet.

Comecei a usar esse ano e é tão bom que foi o incentivo que me faltava para começar a compostar o lixo orgânico aqui de casa e conseguir o adubo rico em húmus. Para saber mais sobre o húmus e como utilizá-lo clique aqui.

Esterco bovino: Para quem foi criado na roça é a coisa mais natural em matéria de adubação. Depois de curtido pode ser misturado diretamente no solo ou no substrato do vaso. É um forte estimulante da floração além de oferecer muitos outros nutrientes às plantas. Outra forma também de utilizá-lo é colocando de molho por 10 dias e diluir o liquido produzido na água das regas das plantas. Eu particularmente prefiro misturar no substrato. Uma proporção muito utilizada nesse caso é a de duas partes de terra para uma de esterco, mais essa quantidade vai variar de acordo com a necessidade de cada espécie.  É ótimo também para frutíferas e hortaliças em geral. Para ver o post do passo-a-passo de como curtir e utilizar o esterco clique aqui.

Esterco de galinha: Este também uso para a nutrição de espécies floríferas e frutíferas. É bastante concentrado se comparado a outros adubos orgânicos e deve ser usado com cuidado. Aplique apenas 1/3 da quantidade indicada para o adubo bovino.

Casca de ovos: Esse é outro adubo muito bom, rico em cálcio e outros nutrientes importantes para as plantas. Ele pode ser produzido diretamente na compostagem ou você pode juntar as cascas para a produção da farinha de casca de ovos. Aprenda a fazer a farinha passo-à-passo aqui mesmo no blog!

Farinha de ossos: Outra que é maravilhosa e rica em fósforo e cálcio. Ela estimula a floração e frutificação das plantas então você pode aplicar nas suas espécies floríferas e nas frutíferas de acordo com a indicação do fabricante. Ela também pode ser facilmente encontrada nas lojas do ramo e deve ser usada às colheradas. Para ver o passo-a-passo da fabricação da farinha de ossos caseira clique aqui.

Composto orgânico (Húmus): Como eu disse no início do post, estou reciclando todo o lixo orgânico da minha cozinha e também do jardim para produzir o composto. Além de um adubo natural ele é completo para as plantas! Por enquanto não tem minhocas no processo o que o torna mais lento, mas está dando certo do mesmo jeito. A diferença entre este composto e o húmus de minhoca é que na vermicompostagem a decomposição é feita pelas minhocas. Já na compostagem outros organismos como fungos e bactérias fazem o processo de decomposição. Clique aqui para ver as dicas da fabricação da composteira e produção do Húmus! Clique aqui para ver a composteira feita de garrafa pet.

Chorume: No processo de compostagem, os resíduos produzem um líquido muito nutritivo chamado de chorume. Esse líquido pode ser utilizado na adubação das plantas inclusive como adubo foliar. Para ver o passo-a-passo da utilização do chorume clique aqui.

Cinzas: Você pode utilizar as cinzas da queima dos restos de podas e folhas secas do seu próprio jardim. As cinzas são ricas em potássio e ainda aumentam o pH do solo deixando-o mais alcalino. Use-as com cautela em plantas que preferem solos mais ácido como as Ixoras. Não use papéis coloridos na fabricação das cinzas por causa da tinta. E também não use as cinzas da churrasqueira por causa da gordura. Para ver o post do passo-a-passo de como fazer e utilizar as cinzas clique aqui.

Calcário: O calcário uso para controlar a acidez do solo. Ele eleva o pH do solo rapidamente deixando-o mais alcalino. Mas atenção, pois boa parte das plantas ornamentais preferem o solo mais ácido. Você encontra o calcário em lojas de materiais de construção.

Adubo verde: São leguminosas como a soja e o feijão cultivadas na superfície do solo para enriquecê-lo nutricionalmente. No jardim utilizo a grama-amendoim para esse fim. Dentre os vários atributos da grama-amendoim temos: Retenção de umidade, fixação do nitrogênio no solo, controle das ervas daninhas e combate à erosão. Ela pode ser cultiva sob sol pleno ou meia sombra e não tolera pisoteio. Você também pode usá-la como forração nos vasos grandes.

O tipo e a quantidade de adubo à ser utilizada vai depender da necessidade de cada espécie, sendo assim, é importante você se inteirar dessas necessidades para não errar na dose e correr o risco de perder o exemplar. Geralmente a dosagem vem na embalagem mas se você tiver dúvidas use sempre menos do que o indicado. 

Importante lembrar também que as plantas normalmente retiram do solo e do ar os nutrientes que elas necessitam para seu desenvolvimento. A adubação é necessária geralmente quando o solo é muito pobre. O excesso de adubo também não é bom para as plantas.

Adubo químico

O adubo químico tem resultado mais rápido e é absorvido com maior facilidade pelas plantas, porém é o menos indicado, pois seu uso indiscriminado pode causar mudanças na composição química do solo e a longo prazo trazer danos ao ecossistema.

Nos adubos químicos vamos encontrar a sigla NPK seguida de três números. As três letras indicam os elementos que compõem o adubo e os números respectivamente a porcentagem de cada elemento na fórmula.

O "N" é o Nitrogênio, ele estimula o crescimento dos brotos e das folhas. O Nitrogênio de origem orgânica é encontrado no esterco bovino, de galinha e também no húmus de minhoca.

O "P" é o Fósforo, ele favorece a floração e a frutificação. O Fósforo de origem orgânica é encontrado na farinha de ossos.

E por último o "K" Potássio, ele fortalece os tecidos vegetais tornando as plantas mais resistentes a pragas, e também melhora a qualidade dos frutos. O Potássio de origem orgânica é encontrado nas cinzas de madeira e no esterco bovino.

Existem várias formulações de NPK disponíveis no mercado. Isso porque as espécies têm necessidades específicas em cada etapa de seu desenvolvimento. Dentre as formulações mais utilizadas temos:
  • NPK 10-10-10 - Utilizado em folhagens, gramas e plantas em fase de crescimento.
  • NPK 04-14-08 - Utilizado para estimular a floração e frutificação.
  • NPK 25-25-25 - Utilizado no cultivo de plantas hidropônicas.
O adubo deve ser depositado afastado das raízes e caule das plantas. Veja também nos links abaixo, alguns exemplos e resultados do uso do NPK.

Continue lendo para saber mais sobre:


Siga o Jardinet nas redes sociais e fique por dentro das novidades com várias dicas de cultivo!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...